27-12-17

Êca..

 

Abri um novo mundo de prazer sexual para mim e para meu amante quando descobri que ele gosta de ser penetrado pelo ânus tanto quanto eu. Meu amante está na faixa dos 40 anos, e ele gosta de mulheres jovens (até no máximo 35 anos) e magras, de preferência mignons. Antonio Paulo sempre adorou ser penetrado por mim, ele não é veado, gosta de ser penetrado apenas por mulheres.

Certa vez, assim que ele se deitou de barriga para cima e segurando os joelhos junto ao peito, eu mergulhei meu dedo num potinho de pasta de água e gentilmente enfiei-o em sua bunda. Senti que seu esfíncter comprimiu meu dedo como se fosse uma dedeira apertada de borracha. Mexi meu dedo para fora e para dentro, até que o ânus dele começou a relaxar, comecei então a mover meu dedo como se fizesse um circulo, empurrando para os lados contra o anel muscular, cedendo-o um pouco. Apliquei mais pasta a dois dedos e então inseri ambos. Antonio Paulo gradualmente relaxou, a tensão em seu rosto sendo substituída por um olhar de intensa absorção, como se não pudesse mover um só músculo. Seu pênis estava duro, róseo e ereto, pulsando levemente a cada batida de  seu coração. Agarrei seu pênis e ele começou a suspirar e a gemer. Comecei a masturbá-lo com minha mão inteira. Depois de apenas cinco movimentos, seu corpo todo se arqueou e ele gemeu mais alto, seu esperma explodindo para fora em poderosos jatos. O primeiro era tão forte que quase atingiu sua testa, e eu contei mais quatro contrações fortes. Antonio Paulo prendeu minha mão com um agarre forte e manteve meus dedos ainda lá dentro. Ele respirava em jatos, como se fosse incapaz de recuperar seu fôlego normal. Depois que se recuperou, me disse que esse tinha sido o orgasmo mais forte que jamais tinha tido e que, a princípio, sentiu a penetração como uma coisa estranha, mas assim que relaxou a coisa foi ficando mais quente como se esse calor estivesse subindo para o seu pinto e um sentimento de submissão se apoderou dele. Escutar essas coisas me excitou demais.

Comecei a beijá-lo e ele desceu suas mãos até minha vagina e seus dedos passaram a agir sobre o meu clitóris e me conduziram ao orgasmo. Duas noites mais tarde, decidimos tentar uma penetração com um consolador. Usamos um pequeno pepino, que lavei cuidadosamente. Preparei Antonio Paulo com meus dedos cheios de pasta e então pressionei o pepino lubrificado contra seu ânus relaxado. O frio do pepino fez com que ele se contraísse um pouquinho, mas procurei progredir aos poucos, empurrando e então puxando-o para fora, e assim por diante. Então ele começou a suspirar e disse: "Puxa, como é gostoso! Oh! Enfie mais." Eu aumentei o ritmo e logo ele estava empurrando seu quadril contra o pepino, como se quisesse engoli-lo mais ainda. "Foda minha bunda" ele implorou. "Oh! Pegue o meu pau! Quero gozar enquanto você está me fodendo."  Foi difícil masturbá-lo, enquanto eu enfiava o pepino com a a outra mão, mas consegui e logo ele estava lançando jatos de esperma por todo o seu peito cabeludo.

Antonio Paulo pediu que eu não me mexesse, dizendo que queria saborear a sensação do pepino em sua bunda enquanto eu segurava o seu pênis. Minha vagina estava toda molhada com os meus sucos, mas isso era de pouca importância, diante da satisfação que eu sentia em criar todo esse foguetório sexual. Ele se endireitou, fazendo o pepino escorregar para fora de sua bunda e me derrubando na cama. Começou a beijar-me ferozmente, então foi lá pra baixo, para lamber minha vulva apaixonadamente. Logo, eu estava gozando poderosamente, prendendo sua cabeça entre minhas coxas. Mais tarde, Antônio descreveu como era delicioso ser fodido pelo pepino, dizendo sentir uma conexão direta entre o pinto e o ânus.

Agora, nós já temos vários consoladores de plástico, um pequeno como o pepino, outro de tamanho médio mais ou menos do tamanho do pênis dele e outro bem grandão. Também temos uma espécie de cinta de couro com um pênis de plástico acoplado, que eu prendo em minha cintura e nas pernas, para poder penetrá-lo com todo o meu corpo. Quando eu visto essa cinta, o olhar de prazer, excitação e antecipação no rosto dele é alguma coisa de notável. Eu adoro foder a bunda dele porque sinto que estou entrando da forma mais íntima possível. Ele se entrega totalmente ao meu controle, submetendo-se a mim como jamais fizera antes.

Normalmente, fazemos amor na posição que ele chama de "cata-cavaco". Adoro quando minha coxas batem na parte de trás das coxas dele, quando eu consigo a máxima penetração. E quando isso acontece, Antonio Paulo força para trás em direção ao "meu" pênis e eu posso enlaçá-lo e masturbar o seu pênis ao mesmo tempo. Algumas vezes, nós apoiamos suas nádegas sobre almofadões, de maneira que eu possa penetrá-lo pela frente e ver seu rosto enquanto lhe dou prazer. Começamos com o consolador menor, com boa lubrificação o ânus dele pode aceitá-lo sem dificuldade e eu posso introduzi-lo tão rápido e tão forte quanto nós queremos. Agora que sua bunda se acostumou com o consolador pequeno, não preciso mais massagear seu ânus com meus dedos antes, exceto quando queremos usar o médio como uma variante em nosso programa habitual.  Nossa transa fica então mais aconchegante e menos frenética. Nós usamos o consolador grandão apenas em algumas ocasiões especiais. Ele diz que sua bunda nunca está suficientemente preparada para ele. Mas, tenho que admitir que amo ver aquele pauzão imenso entrando na bunda dele, enquanto ele quase baba de tanto prazer.

Outras vezes, enfio o consolador menor em meu próprio ânus, enquanto enfio o grandão nele. Sempre fico muito excitada fodendo a bunda dele e em geral gozo rápido, mexendo um pouquinho no meu clitóris. Subo em cima dele e "sento" sobre o pênis dele, enquanto ainda o estou fodendo. Ele me leva ao prazer com seus dedos ou sua língua, assim que tiro o "meu" pau de seu bunda.

Tivemos sorte de descobrir esse recurso para proporcionar-nos tal prazer. Eu sugiro a pratica do sexo anal para outros casais que estejam procurando alguma coisa nova e excitante. Eu sei que, como eu, muitas mulheres gostam de ser penetradas por trás, e, penetrando a bunda de seus homens, elas descobrirão que é tão bom quanto ser penetrada. E seus homens ficarão tremendamente gratificados.

01:55 Gepost door Pé de Cenoura | Permalink | Commentaren (0) |  Facebook |

De commentaren zijn gesloten.